Os Judeus vão ser salvos? – A necessidade da salvação

INTRODUÇÃO

Neste post estudaremos um pouco de soteriologia, isto é, a doutrina da salvação, o pecado atingiu toda a humanidade, todos nós ficamos debaixo do impiedoso jugo do pecado, por isso houve a necessidade de uma salvação universal, vinda do próprio filho de DEUS, cujo nome é Jesus CristoRm 1.18; 3.20.

Paulo nos mostra em Romanos que tanto os pagãos, que estavam nas trevas do pecado, quanto aos judeus que se orgulhavam de possuir a lei divina entregue a Moisés no Sinai, estão sob o domínio do pecado, vamos estudar mais sobre a salvação agora.

1 – NECESSIDADE DA SALVAÇÃO DOS GENTIOS (Rm 1.18-32)

Vamos dividir esse tópico em três:

  1. A rejeição;
  2. A revelação;
  3. A punição.

1 – A rejeição

Ao dar início a sua argumentação em Romanos 1.18-32, o apóstolo tem em mente a triste situação na qual se encontra o mundo gentílico. Versículo 18 de Romanos 1.

Porque do céu se manifesta A IRA DE DEUS sobre toda impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça.” – Rm 1.18.

A Ira de Deus, no grego esta – Orge de Deus, é uma expressão da justiça de Deus e do seu amor, que é um atributo Dele. É a indignação pessoal de Deus e sua reação imutável diante de todo o pecado (Ez 7.8,9; Ef 5.6; Ap 19.15), Deus está irado por causa do comportamento iníquo do ser humano – (Ex 4.14; Nm 12.1-9; 2 Sm 6.6,7) e das nações (Is 10.5; 13.3; Jr 50.13; Ez 30.15) e pela infidelidade do seu povo (Nm 25.3, 32.10-13; Dt 29-24-28)

Deus está irado com a nação gentílica (que é todos que não são judeus) por alguns motivos, como já mencionado à cima.

  • Por causa do pecado;
  • Comportamento iníquo do homem e das nações;
  • Pela infidelidade do seu povo

Devido a grande maldade do homem, Deus foi ‘rejeitando’ a humanidade, a bíblia diz que Deus se ‘arrependeu-se‘ de ter criado o homem, porem, a tradução mais correta dessa passagem é que – Deus se entristeceu-se de ter feito o homem, mas, o foco é – Deus não se alegra das atitudes do homem, isso faz com que ele REJEITE algumas atitudes nossa e até mesmo certos sacrifícios que oferecemos á Ele.

Algumas coisas que nos afasta de Deus:

Desobediência

Adão depois de ter desobedecido, foi afastado de Deus;

Os desejos da nossa carne

Há uma guerra constante entre a carne e o espírito, Deus nos aconselha alimentar o espírito – Gálatas 5.17;

Medo

O medo gera desconfiança, e a bíblia afirma que sem fé é impossível agradar a Deus, Deus mandou Josué ser CORAJOSO e VALENTE e ter de bom animoJosué 1.9;

Frieza espiritual

Este, talvez seja o maior dos males deste século, muitos hoje não tem vontade de orar e ler a bíblia, pois, a frieza entrou no coração, a bíblia diz que de todo tesouro que tenha que guardar, guarde o coração, pois, dele procede todas as outras coisas, inclusive a vontade de Buscar a Deus.

Pecado

O pecado fez separação entre o homem e o seu Criador.
Vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Isaías 59:2).

Jesus é o único que pode desfazer essa separação

Mesmo homem pecando e sendo afastado de Deus, ainda há esperança, pois, em Jesus há salvação e o poder de religar essa comunhão com Criador.
Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (João 14:6)

2 – A revelação

Dentro dos estudos sistemáticos, a doutrina da revelação é muito ampla, existem praticamente dois tipos de revelações de Deus ao homem, o que chamamos de – revelações explícito e implícito, isto é, á grosso modo.

Explícito

Nessa revelação, Deus se manifesta ao homem de uma forma que ele consiga compreender um pouco de seus mistérios, são as revelações que ele deixou ao homem
Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento” (Is 40.28).

Implícito

A grosso modo, as revelações implícitas são aquelas que Deus se manifesta para o homem, de uma maneira que homem nenhum entende, em vários textos a bíblia nos afirma a nossa incapacidade humana em conhecer a Deus em sua plenitude e glória – Ele habita em “luz inacessível” – 1 Tm 6.16 e “nunca foi visto por ninguém.. ” – Ex 33.20; Jo 18.

E tem também as chamadas – revelação geral e revelação especial, essas duas formas que Deus tem usado para se revelar ao homem.
A revelação especial são as verdades mais específicas que podemos aprender de Deus através do supernaturalsobrenatural. Já a revelação geral é a forma de verdade gerais que podemos aprender sobre Deus através da natureza. Lembrando que essas duas revelações, estão dentro da categoria implícitos e explícitos.

Revelação geral – Salmos 19:1-4 declara: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo”.

Revelação especial –  Romanos 1:20: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis”. Semelhante ao Salmo 19, Romanos 1:20 ensina que o poder eterno e a natureza divina de Deus “claramente se conhecem” e são “percebidos”.

Existem ainda as revelações através de Teofanias, onde o próprio Deus se manifesta usando que Ele achar melhor.

  • a) visíveis – (Gn 16.11,13; Êx 3.2-6; 19.18-20; Dn 7.9-14, etc);
  • b) audíveis – (Gn 3.8; 1 Rs 19.12,13; Mt 3.17, etc);
  • c) humana – (Gn 18.1,2,13,14);
  • d) angélica – (Jz 2.1; 6.11,14);
  • e) não humana – (Gn 15.17; Êx 19.18-20).

3 – A punição

Os versículos 22 até o 32 do primeiro capítulo de Romanos revelam as consequências do pecado na vida dos homens. Eles tiveram a oportunidade de glorificar a Deus, mas, não o fizeram – Rm 1.21, e agora colhem os maus frutos dessa obstinação.

A expressão “Deus os entregou” do versículo 24, não tem o sentido de causalidade, o que demonstra que Deus não é o responsável por essa obstinação humana. Ele apenas permitiu que os homens, como consequência e suas próprias ações e escolhas, andem nos seus próprios caminhos.

Paulo destaca que essa atitude reprovada que cegou os homens, lançando-os na insensatez da idolatria, pois trocaram o Criador pela criatura Rm 1.23. Depois os levou ao desvio da sexualidade – Rm 1.26,27 e por último, fez com que eles adotassem uma diversidade de vícios morais e sociais – Rm 1.28-32.

2 – A NECESSIDADE DE SALVAÇÃO DOS JUDEUS ( Rm 2.1-3.8)

Vou apenas transcrever que esta na revista aqui.
Vamos dividir esse tópico em três:

  • Os judeus em relação aos gentios
  • Os judeus em relação à lei
  • Os judeus em relação à aliança

1 – Os judeus em relação aos gentios

Paulo valeu-se do método de diatribe (Grécia antiga, dissertação crítica que os filósofos faziam acerca de alguma obra) na carta aos Romanos, pois tal recurso permitia que ele dialogasse com os leitores. É de imaginar que um judeu, quando lesse o que Paulo dissera anteriormente sobre o mundo gentílico, ficasse eufórico pelo tom duro adotado no discurso de Paulo.

Os gentios (aqueles que não eram judeus), de fato encontravam-se numa situação deplorável diante de Deus. Entretanto, os judeus moralistas não estavam em melhor situação (Ver 2.1-16). Eles também eram igualmente condenáveis diante de Deus – Rm 2.1-3. Eles condenavam os gentios, mas praticavam pecados semelhantes, por isso eram carentes da graça de Deus.

2- Os judeus em relação à lei

Outro aspecto da argumentação do ap Paulo em relação aos judeus encontra-se nos versículos 17-29 do capítulo 2 de Romanos. Paulo sabia que todo judeu se orgulhava da Lei que lhes fora outorgado no Sinai – Rm 2.17.18. Ao contrário dos gentios que possuíam apenas a revelação natural a eles fora dado também a lei. Contudo há uma diferença entre conhecer a Lei e a pratica-la.

Apenas o conhecimento da letra da lei, sem a devida interiorização das suas normas e preceitos, conduziu o judaísmo a um moralismo estéril e farisaico. Não adiantava conhecer a lei e não vivê-la – Rm 2.28,29. Os judeus tornaram-se tão culpados quanto os gentios.

3 – Os judeus em relação à aliança

A pergunta que todos judeus fariam, Paulo logo fez e já respondeu – “Qual é, logo a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão ? Muita, em toda a maneira, porque primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas…” – Rm 3.1.2. Mesmo tendo afirmado anteriormente que o que vale mesmo é a circuncisão do coração, o Apóstolo não nega os privilégios de pertencer ao povo de Deus (Israel).

A palavra grega ‘logion’, traduzida aqui como ‘palavras de Deus, significa ‘oráculo‘, a expressão refere-se a revelação da lei que Deus deu a Israel no Sinai. Foi uma grande honra para Israel ser a nação responsável por guardar sua palavra (lei). Todavia, como bem observou F. F . BRUCE – “essa alta honra levava consigo uma grande responsabilidade. Se se mostrassem infiéis à confiança depositada neles, seu caso seria pior do que as outras nações as quais Deus não se tinha revelado.

3 – A NECESSIDADE DA SALVAÇÃO DA HUMANIDADE (Rm 3.9-20)

Vou transcrever o conteúdo da revista aqui e acrescentar algumas coisas.
Vamos dividir esse tópico em dois:

  • A universalidade e o jugo do pecado
  • Valores e comportamentos

1 – A universalidade e o jugo do pecado

A argumentação de Paulo em Romanos 3.9-20 é que tanto os gentios como os judeus sem Cristo estão debaixo da condenação do pecado – Rm 3.9. A raça humana sem Cristo esta sob o domínio do pecado. A expressão grega “hupo hamartían“, traduzida como “debaixo do pecado“, tem o seguinte sentido – “no poder de, debaixo da autoridade de“. Essa mesma construção gramatical ocorre em Mt 8.9. Nessa passagem encontramos o centurião dizendo – “Tenho soldados hupo emautón (por debaixo de mim), que em português tem o sentido de ‘minhas ordens’.

A ideia de Paulo é mostrar que a humanidade em seu estado natural, isto é, sem Deus – separado de Cristo, esta sobre o domínio do pecado, é incapaz de libertar-se por si mesmo.

2 – Valores e comportamentos

Outras duas verdades que podemos perceber na argumentação de Paulo em Romanos 3.10 a 18, estão relacionadas com o caráter e a conduta. O pecado distorceu valores e comportamentos na sociedade. Valores invertidos são marcas de uma humanidade caída. Somente em Cristo eles podem ser reorientados.

Post– Os Judeus vão ser salvos? – A necessidade da salvação.
Tags – soteriologia, Jesus Cristo, implícito, explícito,revelação natural, revelação geral, escola bíblica dominical,os judeus vão ser salvo.

MATERIAIS PARA SEU CRESCIMENTO

Comentários

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *